Arquivo da categoria: Ginecologista de Plantão

Será que estou grávida?

Gravidez-sintomas

Confira o sintoma e descubra o que pode causá-lo, além da gravidez, é claro.

Ausência da menstruação

Principal sinal de que uma mulher está grávida. Assim que o óvulo é fecundado, e até o final da gravidez, aparecem os hormônios que suspendem a menstruação.
Quando aparece: durante toda a gravidez.
Outras causas: aumento ou perda excessiva de peso, problemas hormonais, acarretando a não ovulação, tensão emocional, stress, medicação.

TPM

tpm2

A TPM ou Síndrome pré-menstrual é o período cíclico que precede a menstruação. Nesse intervalo de tempo, podem aparecer sintomas psíquicos e físicos, que geralmente desaparecem no primeiro dia do fluxo menstrual. Em algumas mulheres, a TPM é interrompida somente com o fim do fluxo.

EXERCÍCIOS FÍSICOS NA GESTAÇÃO

beneficios-atividade-fisica-gravidez

Exercícios físicos são recomendados a todos e, em especial, para grande parte das grávidas, trazendo benefícios não apenas para a futura mãe como também para o bebê.

A prática de exercícios físicos reduz o risco de complicações obstétricas, gera maior controle de ganho de peso da mãe e atua positivamente no estado psicológico, diminuindo a incidência de depressão e estresse.

Lembre-se de que alguns cuidados devem ser tomados ao praticar as atividades físicas: use roupas frescas, evite altas temperaturas e beba muita água para se manter hidratada. Também é importante conversar com seu médico sobre o uso de protetor solar, pois o sol pode aumentar as manchas na pele da gestante, principalmente na face.

INJEÇÃO ANTICONCEPCIONAL

injecao-mulher

A injeção anticoncepcional é um método contraceptivo que possui em sua fórmula a combinação de progesterona ou associação de estrogênios, com doses de longa duração. A injeção pode ser mensal ou trimestral, e deve ser aplicada na região glútea.

Para os anticoncepcionais mensais, as vantagens e desvantagens são as mesmas da pílula anticoncepcional. Para os anticoncepcionais injetáveis trimestrais, existe a vantagem de serem aplicados a cada três meses, mas há a desvantagem de provocarem a ausência de menstruação no início do tratamento. O retorno da fertilidade (capacidade de engravidar) ocorre vagarosamente, cerca de nove meses após a última injeção trimestral.

Ovários policísticos pedem vigilância continua

SOP

Em medicina, classifica-se como “síndrome” uma doença caracterizada por um conjunto de sintomas. No caso dasíndrome dos ovários policísticos (SOP), que afeta entre 5% e 10% das mulheres em idade reprodutiva, os principais são irregularidade no ciclo menstrual (atraso, ou adiantamento ) e sangramentos excessivos, que refletem ovulação e produção hormonal anormal e podem resultar em infertilidade. Outros sinais comuns são excesso de pelos (problema também chamado de hirsutismo) e acne.

A síndrome é caracterizada por ovários maiores que o normal, com muitos cistos, e é provocada pelo excesso de um hormônio chamado androgênio. Esse excesso estimula o crescimento de pelos e a produção de oleosidade pela glândula sebácea — o que facilita a instalação de infecções características das espinhas. No entanto, a origem da acne é multifatorial e não resulta apenas da ação de androgênios.

Cuidados com a Saúde íntima da Mulher

viver-bem1

- Use sabonete neutro ou produtos apropriados para a higiene da região genital. Evite os sabonetes comuns e os que contêm cremes hidratantes. Esses são ótimos para a pele, mas péssimos para a vagina. Pode-se ter dois sabonetes, um para as mucosas, outro para o resto do corpo.

- Evite desodorantes íntimos e produtos como talcos e perfumes.

- Evite excessos, como lavagens exageradas na região genital, que podem retirar a proteção natural da vagina.

Pergunte ao Doutor

Ginecologista Christian Ferraz tira dúvida de leitoras

Este Chat é Patrocinado por: IAM – Instituto de Assistência a Mulher – Ultrassom 3D e 4D. A mais alta tecnologia a serviço da vida. Venha viver essa alegria.

Eliane diz: Existe algum teste de fertilidade? Como é possível saber se existe algum problema de fertilidade?

Dr. Christian Ferraz responde:

Audio clip: Adobe Flash Player (versão 9 ou superior) é necessária para desempenhar este clipe de áudio. Download da última versão aqui . Você também precisa ter o JavaScript habilitado no seu navegador.

Vanessa diz: Quem tem mioma, pode desenvolver endometriose?

Dr. Christian Ferraz responde:

Audio clip: Adobe Flash Player (versão 9 ou superior) é necessária para desempenhar este clipe de áudio. Download da última versão aqui . Você também precisa ter o JavaScript habilitado no seu navegador.

Ana diz: Fiz um preventivo recentemente e descobri que estou com HPV. Tem cura?

Dr. Christian Responde:

Audio clip: Adobe Flash Player (versão 9 ou superior) é necessária para desempenhar este clipe de áudio. Download da última versão aqui . Você também precisa ter o JavaScript habilitado no seu navegador.

Dr. Christian Ferraz é Médico Pós-graduado em Ginecologia e Obstetrícia com título de especialista brasileiro pela FEBRASGO – Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia.

Vaginite

Por que aparece
O surgimento da vaginite pode ocorrer por:
1 Infecção bacteriana – Na vagina habitam diferentes espécies de bactérias. A infecção bacteriana acontece quando a população de uma dessas bactérias cresce exageradamente, quebrando o equilíbrio que existe normalmente entre elas.
2 Infecção por fungos – A mais frequente é provocada pela Candida albicans, fungo que também pode se desenvolver na boca e nas unhas. É relativamente comum ocorrer uma infestação por esse fungo depois de tratamento com antibióticos, em mulheres com diabetes descontrolada e por causa de desequilíbrios hormonais.
3 Tricomoníase – Infecção provocada por um parasita protozoário, o Trichomonas vaginalis. É uma doença que pode ser transmitida sexualmente. O tratamento, portanto, deve ser feito também pelo parceiro da paciente.

Como fazer o autoexame das mamas?

Em frente ao espelho

Primeiro fique em pé em frente ao espelho e examine atentamente suas mamas. Observe as formas, a cor e a textura da pele. Levante os braços devagar, olhando atentamente a imagem no espelho.

Agora coloque a mão na cintura e examine novamente suas mamas.

No chuveiro

Levante seu braço esquerdo e coloque-o sobre a cabeça. Com a mão direita esticada, examine a mama esquerda. Use as polpas de seus dedos, e não as pontas ou as unhas. Não faça o movimento de “pegar alguma coisa”, mas, sim, de “sentir” a mama. Repita o movimento na outra mama.

O autoexame das mamas leva apenas alguns minutos e você só precisa fazer uma vez por mês.

No entanto, o Instituto Nacional do Câncer no Brasil recomenda que esse exame não substitua o exame clínico de mama, que deve ser feito anualmente por um médico.


Não tenha medo
Muitas mulheres têm “medo” de fazer o autoexame, mas ele é a melhor e mais fácil maneira de se diagnosticar os tumores de mama nas fases iniciais.

Quando fazer
Se você tem menstruações, faça o exame uma semana após acabar o fluxo. Se você não tem, marque um dia do mês, por exemplo, dia primeiro, e faça o exame sempre nesse dia.

Eu não encontro nada!!!
A finalidade do exame não é “encontrar” alguma coisa, mas acostumá-la a examinar a sua mama. Quanto mais você fizer, mais conhecerá sua mama. Isso permitirá que você encontre uma “mudança” e possa avisar o seu médico.

Ovário policístico: entenda o distúrbio

mulher-triste-deitada-pensando-20111005-size-598

Ciclo menstrual desregulado, obesidade repentina, acne… Quem já teve unzinho sequer desses sintomas deve ter ouvido daquela tia sabe-tudo: “devem ser ovários policísticos!!”. Só mesmo um bom médico e uma ultrassonografia para dizer, mas em geral, não é que é isso mesmo?

Paradoxo da gordinha

Além do atraso na menstruação, a SOP pode aparecer por meio de sintomas estéticos. Ou, em nome da precisão, anti-estéticos… Muita acne, pele e cabelos oleosos, pelos grossos, em excesso e em lugares estranhos – como linha do umbigo, na auréola do seio, braços e costas – estão no rol dos sinais comuns.

Diagnóstico e tratamento de miomas

moima-uterino

Grande parte dos miomas é descoberta durante o exame de rotina, pois na maioria dos casos, eles não incomodam a mulher. Mais uma boa razão para ir regularmente ao ginecologista. A necessidade de tratamento do problema está relacionada com a presença de sintomas e a escolha da melhor opção deve ser feita em conjunto com o médico. Mas é preciso atenção, pois quanto mais tempo se leva para diagnosticá-los e tratá-los, mais os casos se complicam.

Mesmo que o ginecologista tenha percebido o aumento do útero da mulher – sintoma que indica a presença de mioma – o diagnóstico só poderá ser confirmado pela realização da ultrassonografia abdominal, que é um exame simples e indolor. Tal técnica possibilita que o médico determine o tamanho, a forma e a textura do útero.

Dá pra confiar na Pílula?

pilula-anticoncepcional-para-controle-de-fluxo-menstrual-69-352

O contraceptivo oral combinado – mais conhecido como pílula – é o método anticoncepcional mais comum que existe: calcula-se que aproximadamente 100 milhões de mulheres façam uso desse método em todo o mundo. Com tamanho contingente de usuárias, não é à toa que a pílula seja constantemente estudada – e isso desde que surgiu, na década de 60. Um dos objetivos dos estudos é buscar diminuir a dose de hormônios e, com isso, minimizar riscos e manter a eficácia contraceptiva.

Síndrome do ovário policístico

Os ovários são dois órgãos, um de cada lado do útero, responsáveis pela produção dos hormônios sexuais femininos e por acolher os óvulos que a mulher traz consigo desde o ventre materno. Entre 20% e 30% das mulheres podem desenvolver cistos nos ovários, isto é, pequenas bolsas que contêm material líquido ou semi-sólido. São os ovários policísticos, que normalmente não têm importância fisiológica, mas que em torno de 10% estão associados a alguns sintomas. Os outros casos são assintomáticos.

A diferença entre cisto no ovário e ovário policístico está no tamanho e no número de cistos.

A síndrome acomete principalmente mulheres entre 30 e 40 anos e o diagnóstico tornou-se mais preciso com a popularização do exame de ultra-som.

Ouça o que diz o Doutor Christian Ferraz sobre ovário policístico:

Audio clip: Adobe Flash Player (versão 9 ou superior) é necessária para desempenhar este clipe de áudio. Download da última versão aqui . Você também precisa ter o JavaScript habilitado no seu navegador.

Recomendações

* Consulte regularmente seu ginecologista. Não deixe de fazer o exame ginecológico e outros que ele possa indicar;

* Não se descuide. Mulheres com ovário policístico correm maior risco de desenvolver problemas cardiovasculares na menopausa;

* Controle seu peso. A obesidade agrava os sintomas da síndrome.

Amenorréia

saude-da-mulher

Porque aparece
A amenorréia pode ser primária ou secundária. No primeiro caso, a adolescente não tem a menarca (primeira menstruação) e nenhum ciclo menstrual até os 16 anos. As causas podem ser genéticas, relacionada ao peso (meninas com peso muito abaixo ou muito acima do normal), problemas no hipotálamo – região do cérebro responsável por regular o sono, o apetite, a temperatura corporal e o ciclo menstrual, entre outras coisas – e má formação do trato genital. Na amenorréia secundária a mulher que já teve períodos experimenta a ausência de menstruação por um período maior do que três meses consecutivos. O problema pode estar ligado ao excesso de exercícios físicos, dietas bruscas com rápida perda de peso ou peso excessivamente abaixo do normal. Outras causas podem ser estresse, uso de medicamentos, distúrbios da tireóide, menopausa precoce, desvios hormonais e disfunções ovarianas – uma das mais comuns é a síndrome dos ovários policísticos (SOP).

O que pode dificultar a gravidez?

Gravidez_843664002_gravidez-imagem

Um casal pode começar a considerar que está com dificuldades para engravidar quando suspende os métodos contraceptivos e, no prazo de um ano, não tem sucesso.

Isso se os dois estiverem com a saúde em dia e a mulher tiver até 35 anos – afinal, o fator idade é um dos que mais influencia a fertilidade.

Dos 35 aos 40 anos, o tempo de espera cai para seis meses. E acima disso, três meses. Dois abortos espontâneos, em qualquer idade, também podem indicar problemas.

O que é ultrassom 3D ou 4D?

O método de ultra-sonografia 3D (três dimensões) é uma inovação do método 2D, transforma as imagens convencionais em imagens tridimensionais, permitindo que a mamãe consiga visualizar uma imagem mais realista do seu bebê. Essas imagens obtêm uma qualidade quase fotográfica.

A ultrasonografia 3D/4D pode ser realizada em qualquer fase da gestação. Entretanto é importante informar que, dependendo da idade gestacional, a imagem que iremos obter é diferente. Por exemplo, imagens em fases iniciais da gestação irão mostrar o corpo do feto inteiro, mas não conseguirão ver pequenos detalhes pois o bebê ainda é extremamente pequeno. Próximo a 20 semanas de gestação já é possível conseguir algumas imagens da face, entretanto elas ainda não são muito bonitas pois nesta fase o feto ainda tem pouco tecido gorduroso, portanto a imagem é praticamente o esqueleto do feto. As melhores imagens da face são obtidas entre 26 a 29 semanas de gestação, pois neste período o feto já tem uma boa quantidade de tecido gorduroso em baixo da pele e ainda tem bastante líquido (o que é extremamente necessário para formação de imagens nítidas). Após 30 semanas podemos eventualmente obter imagens boas, entretanto isto torna-se muito difícil pois o espaço dentro do útero acaba tornando-se reduzido e o rosto fica a maior parte do tempo encoberto. Por isso nós recomendamos que você planeje a realização do exame entre 26 a 29 semanas de gestação.

Ultrassom Obstétrico com Doppler

Exame feito para avaliar as circulações sanguíneas no feto, entre o feto e a placenta e entre a mãe e a placenta. Além disso, avalia-se também a anatomia, o crescimento, a posição e a apresentação do bebê, a quantidade de líquido amniótico e as características da placenta.

Idade gestacional: Geralmente na segunda metade da gravidez.

Técnica: O exame é realizado por via abdominal, com a gestante deitada em decúbito dorsal horizontal (com o abdome para cima). Após aplicação de pequena quantidade de gel sobre a pele do abdome, o médico desliza levemente um transdutor sobre a área de interesse. Pode ser necessário que uma leve pressão seja exercida, para que alguma estrutura fetal seja visibilizada com mais nitidez. Esta manobra não prejudica a mãe nem o bebê e a paciente será avisada quando de sua necessidade. Em raras ocasiões, pode ser útil a complementação do exame por via vaginal. Caso esta avaliação seja indispensável, o médico explicará o motivo à paciente.

Saiba mais sobre Ultrassom 3D/4D

A Clínica IAM (Instituto de Assistência à Mulher), pioneira em nível regional em ultra-sonografia 3D/4D oferece a mais alta tecnologia a serviço da vida. No IAM o seu bebê só falta falar. Venha viver essa alegria.

Entenda a Ultrassom 3D/4D:

O ultrassom em 3-D mostra fotos do bebê em três dimensões, e dá para ver o rostinho dele com detalhes. A ultrassonografia em 4-D (que conta o tempo como a quarta dimensão) mostra essas mesmas imagens, só que em movimento.

Todo mundo fica superansioso para ver o bebê pela primeira vez na tela do ultrassom, mas na hora “H” é difícil distinguir a carinha do filho naquela imagem borrada, sem muita definição. O problema é que o ultrassom deixa o bebê “transparente”, ou seja, você enxerga os ossos e órgãos internos, em vez da pele.

Com os ultrassons em 3-D e 4-D, o que se enxerga é a pele que cobre o bebê. Dá para ver o formato do nariz e da boca, observar um bocejo ou vê-lo colocando a língua de fora. Dá para ver até se ele se parece mais com a mãe ou com o pai.

Do ponto de vista médico, os benefícios dos ultrassons em 3-D e 4-D parecem ser limitados em relação ao ultrassom comum. Às vezes eles podem ser úteis para mostrar mais detalhes sobre alguma anormalidade já detectada. Também ajudam a diagnosticar problemas como o lábio leporino, para preparar a família e já deixar os médicos prontos para uma eventual cirurgia depois do parto. O ultrassom em 3-D também pode ser útil para avaliar o coração e outros órgãos internos.

A melhor fase para fazer um ultrassom em 3-D ou 4-D é entre 26 e 30 semanas de gravidez. Antes disso o bebê tem pouco tecido adiposo sob a pele, ou seja, é magrinho demais, e os ossos do rosto ficam muito visíveis. Depois de 30 semanas, pode ser que a cabeça fique numa posição difícil de alcançar, muito afundada na sua pelve, e o ultrassonografista pode ter dificuldade em obter uma boa imagem.

É bom ter consciência também de que nem sempre as fotos ou as imagens vão sair bonitinhas e claras como a gente quer. Tudo depende da posição em que o bebê está, e, no caso da “foto” do ultrassom em 3-D, que ele não fique se mexendo. A posição ideal é com o rosto virado para fora da barriga, com bastante líquido amniótico na frente e sem a interferência do cordão umbilical.

Se o bebê estiver virado para as suas costas ou estiver com o rosto muito próximo da parede do útero, a imagem pode ficar difícil. A presença de uma camada de gordura na barriga da mãe também interfere na clareza da imagem.

Nesse tipo de ultrassom também dá para ver com detalhes o sexo do bebê.

PERGUNTE AO DOUTOR

GEDC1336

Climatério é o período que abrange toda a fase em que os hormônios produzidos pelos ovários (estrogênio e progesterona) vão progressivamente deixando de ser fabricados, incluindo-se, portanto, a transição entre as fases reprodutiva e não-reprodutiva da vida da mulher.

Assim, a menopausa é um evento que acontece durante o climatério.

Pergunte ao Doutor: Dr. Christian Ferraz responde dúvida de internauta sobre climatério. Ouça:

Audio clip: Adobe Flash Player (versão 9 ou superior) é necessária para desempenhar este clipe de áudio. Download da última versão aqui . Você também precisa ter o JavaScript habilitado no seu navegador.

Ouça o jingle da nova campanha publicitária do IAM – Instituto de Assistência à Mulher

Audio clip: Adobe Flash Player (versão 9 ou superior) é necessária para desempenhar este clipe de áudio. Download da última versão aqui . Você também precisa ter o JavaScript habilitado no seu navegador.

Ginecologista de Plantão

chat

Leitora diz: Utilizo contraceptivo de forma contínua há dois anos. Fiz uma pausa e estou aguardando a menstruação para começar uma nova cartela. Porém, deixei de tomar o medicamento há duas semanas e ainda não menstruei. O produto ainda está agindo no meu organismo? Quanto tempo após o final de um tratamento contínuo ocorre a menstruação?

Reposta: Ao pausar o tratamento com o contraceptivo oral contínuo é possível que um pequeno sangramento ocorra entre 1 à 7 dias. Chamamos este sangramento de privação, já que ele ocorre em virtude da ausência dos hormônios contidos na pílula. Após o período destes sete dias indicados não há mais proteção contra a gravidez e ao retomar o tratamento após duas semanas de pausa, como citada, é possível que já tenha ocorrido a ovulação. Assim, mesmo tomando o anticoncepcional poderá engravidar. Contraceptivos orais não são medicamentos de “depósito”, ou seja, não ficam armazenados no organismo, por isso sua tomada é diária, portanto, não existe a possibilidade do medicamento ainda estar agindo no seu organismo. Sugerimos que converse com seu médico ginecologista, para determinar a causa da ausência de sua menstruação e excluir a possibilidade de gravidez.

Leitora diz: É normal ter corrimento após uma relação sexual?

Resposta: Durante o período de excitação sexual da mulher e durante o orgasmo ocorre aumento das secreções glandulares do epitélio de revestimento vaginal e cervical (colo do útero). O “líquido branco” corresponde a estas secreções e é uma situação absolutamente normal. Deve ser diferenciado das leucorréias (corrimento), que geralmente tem como característica uma coloração amarelada ou esverdeada, odor fétido e causam irritação vaginal (ardor e/ou prurido).

Leitora diz: Tomo anticoncepcional regularmente e houve uma relação sexual onde a camisinha “estourou”. Com medo de engravidar, usei a “pílula do dia seguinte”. Com o anticoncepcional e a “pílula do dia seguinte”, há possibilidade de gravidez e atraso menstrual?

Resposta: Só o anticoncepcional já é suficiente para a prevenção da gravidez, se for tomado de forma correta. Não é necessário o uso do contraceptivo de emergência neste caso. Caso considere o parceiro como “de risco”, procure o médico para realização de exames para detecção de doenças sexualmente transmissíveis.