“Por que não consigo chegar ao orgasmo?”

Desconhecimento do próprio corpo, atenção dissipada, questões morais e outros fatores que afetam o prazer feminino

A sexóloga Fátima Protti responde dúvidas das leitoras

A dificuldade em atingir o orgasmo é motivo de angústia para muitas mulheres. Por isso mesmo as perguntas sobre o tema são frequentes nos consultórios e nos e-mails de leitoras. As disfunções afetam a autoestima e podem até comprometer o relacionamento com o parceiro. Mas os casos são diferentes: algumas mulheres nunca sentiram um orgasmo, outras chegam lá algumas vezes e há aquelas que conseguem ter esse prazer apenas com a masturbação. Seja qual for a situação, veja alguns fatores que dificultam o prazer orgástico.

Atenção dissipada: ela pensa no que deixou de fazer, nas atividades do dia seguinte, nas crianças, no trabalho, nos estudos. Assim, perde o foco das sensações corporais e da relação. Mulheres com perfil controlador estão mais propensas a ter essa dificuldade.

Ansiedade e Impaciência: está tão preocupada em ter o orgasmo que foca no resultado – e não no sexo. Com isso, as chances de chegar lá diminuem. É o caso de querer acabar logo e não permitir uma exploração mais demorada da intimidade. Um parceiro apressado e ansioso também pode ser extremamente desestimulante.

Questões morais, religiosas ou vivências passadas: ela tende a bloquear a excitação por considerar o prazer errado, sujo ou constrangedor. Freios psicológicos também podem remeter a situações passadas desagradáveis.

Desconhecimento do próprio corpo: saber explorar o próprio corpo e os genitais de maneira prazerosa é o primeiro passo para atingir o orgasmo. Nesse sentido, além de prazerosa, a masturbação é essencial.

Falta de habilidade do parceiro: pouco cuidado durante as carícias é uma reclamação comum das mulheres. Ele toca os genitais com mãos pesadas, incomoda e não consegue excitar a mulher.

Rotina sexual e conflitos: problemas na relação ou a rotina interferem na disposição para o sexo e qualidade do mesmo.

Dicas rápidas para reverter o problema:

Aprenda com o próprio corpo: a masturbação é uma ótima prática para reconhecer e explorar as carícias. Perceba quais são os toques que dão prazer nas áreas erógenas do corpo.

Ensinar o parceiro: Não dá para esperar que ele acerte sozinho. É possível facilitar o prazer com atitudes sensuais, e não corretivas, mostrando como gosta de ser tocada e onde sente prazer. Isso envolve o casal e reforça a intimidade.

Não levar problemas para a cama: conflitos no sexo e no relacionamento devem ser resolvidos fora da cama. Afinal, esse não é o lugar para retaliação, principalmente quando o prejudicado é o prazer.

Estimule os cinco sentidos: isso ajuda no aumento da excitação e a atingir o orgasmo. Indico a leitura do meu livro “Sexo, Amor e Prazer” (Editora Biblioteca 24 horas).

Fonte: “delas.ig”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Spam Protection by WP-SpamFree