Vaginite

Por que aparece
O surgimento da vaginite pode ocorrer por:
1 Infecção bacteriana – Na vagina habitam diferentes espécies de bactérias. A infecção bacteriana acontece quando a população de uma dessas bactérias cresce exageradamente, quebrando o equilíbrio que existe normalmente entre elas.
2 Infecção por fungos – A mais frequente é provocada pela Candida albicans, fungo que também pode se desenvolver na boca e nas unhas. É relativamente comum ocorrer uma infestação por esse fungo depois de tratamento com antibióticos, em mulheres com diabetes descontrolada e por causa de desequilíbrios hormonais.
3 Tricomoníase – Infecção provocada por um parasita protozoário, o Trichomonas vaginalis. É uma doença que pode ser transmitida sexualmente. O tratamento, portanto, deve ser feito também pelo parceiro da paciente.
4 Causas não infecciosas – Em geral, esse tipo de vaginite é provocado pelo uso ou pelo contato de produtos (por exemplo, desodorantes íntimos, sabonetes, talcos, espermicidas, preservativos ou diafragmas) que geram irritação ou reação alérgica.
5 Atrofia vaginal – Chamada de vaginite atrófica, é consequência do afinamento ou encolhimento dos tecidos da vagina e da redução da lubrificação das paredes vaginais. Isso acontece pela falta de estrogênio, hormônio feminino, e afeta mulheres na menopausa, as que fizeram cirurgia para a retirada dos ovários ou, em alguns casos, as que acabaram de parir.

Diagnóstico
Para identificar a causa, o médico faz exames ginecológicos no consultório, conversa sobre as condições de saúde recente da paciente, pede informações sobre características de eventuais corrimentos, de atividades sexuais e pode solicitar exames de laboratório.

Riscos
Em geral, a vaginite não traz consequências maiores. Seguindo as orientações do médico o problema é superado rapidamente. Atenção especial deve ser dada aos casos de vaginite bacteriana e tricomoníase. Essas duas condições aumentam a possibilidade de parto prematuro em grávidas. E, também, aumentam o risco, para qualquer mulher, de aquisição de outras doenças sexualmente transmitidas.

Tratamento
A definição da linha de tratamento depende da descoberta da causa. Assim, para vaginite bacteriana ou tricomoníase o médico deverá recomendar antibióticos e o tratamento do parceiro sexual. Para infecção por fungos, a opção deverá ser por antifúngicos. Nas vaginites não infecciosas, será necessário descobrir o agente que provocou irritação ou reação alérgica e deixar de utilizá-lo. Para tratar a vaginite atrófica, o médico poderá, eventualmente, sugerir o uso local de hormônio à base de estrogênio. É necessário seguir corretamente a orientação do médico e utilizar os medicamentos da forma prescrita, mesmo que os sintomas desapareçam antes, para prevenir recorrências.

Quando procurar o médico
Sempre que uma mulher apresentar corrimentos com odor ou com cores anormais deve passar por consulta. É bom lembrar que corrimentos claros, sem cheiro e que lembram clara de ovo são normais e costumam acontecer quando a mulher está no período fértil.

Prevenção
Os cuidados higiênicos são indispensáveis, mas não se pode exagerar com duchas vaginais. Recomenda-se, também, secar bem a região genital após o banho, evitar ficar com maiôs molhados por muito tempo e dar preferência a roupas íntimas de algodão. Fazer sempre sexo seguro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Spam Protection by WP-SpamFree