Tag Arquivos: Câncer de Mama

Câncer de Mama em Jovens

cancer-de-mama

O número de casos de câncer de mama em mulheres jovens aparentemente está crescendo em todo o mundo. Ainda não é possível identificar apenas uma causa para o aumento dos casos. No entanto, atualmente, pode-se falar em cura para os casos de câncer de mama detectados precocemente.

O início da puberdade marcado pelo desenvolvimento das mamas, quando associado a obesidade representa um fator de risco para o câncer de mama. Existe uma associação entre câncer de mama, idade precoce da menarca e maior índice de massa corporal e gordura corporal.

Cuidados Essenciais

  • Aparência e Forma de suas Mamas

É importante que você conheça a aparência e a forma de sua mama para poder notar rapidamente qualquer alteração. Converse com o seu médico imediatamente, caso perceba alguma alteração.

Mitos Sobre as Causas do Câncer de Mama

Aqui você pode conferir alguns mitos e riscos incertos das causas do câncer de mama.

- Agrotóxicos nos alimentos – não existe associação comprovada entre uso de agrotóxicos e câncer de mama. Também não há associação comprovada entre câncer de mama e cigarro, mas como o fumo está associado a uma série de outros cânceres (pulmão, boca, pâncreas, bexiga, etc.), problemas cardíacos e derrames, o ideal é procurar um serviço especializado e largar o cigarro.

- Uso de antitranspirantes e uso de sutiãs com suporte metálico – correntes disparadas pela internet disseminaram rumores de que o uso de antitranspirantes causa câncer de mama. Mais recentemente, os sutiãs com suportes metálicos foram alvo de outra corrente. Não existem evidências de que desodorantes e sutiãs causem câncer de mama.

- Aborto – ativistas contrários ao aborto disseminaram a ideia de que o procedimento aumenta o risco de câncer de mama, o que não é verdade. Abortos espontâneos também não elevam o risco de ter câncer de mama.

- Implantes de silicone – implantes de silicone formam cicatriz na mama e podem dificultar a detecção precoce do tumor, bem como a visualização do tecido mamário nas incidências padrões da mamografia. Contudo, não aumentam o risco de câncer.

Câncer de Mama em Mulheres Jovens

Doenças Femininas

Um estudo realizado no Hospital do Câncer A. C. Camargo, em São Paulo, mostrou que o câncer de mama está atingindo quatro vezes mais mulheres jovens que no passado.

Tradicionalmente, os casos de câncer de mama apareciam em mulheres acima de 40 anos, mas esse estudo mostra que a doença está atingindo também mulheres jovens.

Nesse intuito, hoje, a recomendação é de que a mulher faça um autoexame de mamas mensalmente e um exame clínico de mamas anualmente.

A mamografia ainda não está absolutamente indicada nas mulheres jovens como forma de diagnóstico precoce, pois tem muitas limitações. O ultrassom de mama (ultrassonografia) também não é um exame confiável para o diagnóstico do câncer de mama.

Resta, então, o autoexame  e o exame clínico anual, ao qual todas as mulheres devem se submeter independentemente de idade, vida sexual ou qualquer outra característica pessoal.

Casos de câncer de mama sobem 160%

O número de casos diagnosticados de câncer de mama subiu mais de 160%, e o de casos de câncer cervical, 20%, de 1980 a 2010, com os maiores aumentos ocorrendo em países em desenvolvimento, segundo estimativas globais publicadas nesta quinta-feira pela revista médica britânica “The Lancet”.

Casos identificados de câncer de mama no mundo aumentaram de 640 mil em 1980 – quando 65% deles ocorriam em países ricos – para 1,6 milhão em 2010, 51% deles em países em desenvolvimento.

A incidência de câncer cervical aumentou de 378 mil para 454 mil ao ano no mesmo período, segundo a pesquisa, feita em 187 países.

O câncer de mama matou 425 mil mulheres em 2010, 68 mil delas com idades entre 15 e 49 anos em países em desenvolvimento.

As mortes causadas pelo câncer cervical vêm diminuindo, tendo chegado a 200 mil no ano passado, 46 mil delas de mulheres com idades entre 15 e 49 anos em economias menos desenvolvidas.

O aumento do número de casos registrados resulta, em parte, do melhor diagnóstico, mas também do envelhecimento da população.

A análise foi compilada pelo Institute for Health Metrics and Evaluation da Universidade de Washington, em Seattle.

Biópsia de Mama – Como funciona o exame?

wmX-600x450x3-4cb860d8b501137518887ccdf3fe44b66560449ddf1611

Ela é feita quando outros testes indicam que a mulher possui uma área que pode ser câncer de mama e consiste na remoção de uma amostra de tecido.

Há vários tipos de biópsia e o médico escolhe a mais indicada para cada caso:

- Biópsia por aspiração com agulha fina: uma agulha bem fina, às vezes guiada por ultrassonografia, é usada para retirar líquido do nódulo. Se o nódulo for sólido, pequenos pedaços de tecido são removidos e analisados ao microscópio. Se a biópsia não der um resultado claro ou se o médico não tiver certeza do diagnóstico, uma segunda biópsia ou um tipo diferente de biópsia pode ser necessário.

- Biópsia estereotáxica por agulha grossa: ela é usada para remover vários cilindros de tecido e é feita com anestesia local.

- Biópsia cirúrgica: algumas vezes uma cirurgia é necessária para remover todo nódulo ou parte dele e analisá-lo ao microscópio. Muitas vezes remove-se também tecido sadio ao redor do nódulo.

Análise da biópsia

Se o tecido removido não for canceroso, não há necessidade de tratamento. Se for, a biópsia pode dizer se trata de um câncer agressivo ou não. As amostras são graduadas de 1 a 3. Os cânceres que se mais se assemelham ao tecido normal tendem a crescer e se espalhar mais lentamente. Geralmente, um grau menor indica câncer de crescimento mais lento, e o maior, os mais agressivos.

A amostra da biópsia também pode ser testada para ver se contém receptores para certos hormônios, como progesterona e estrogênio, designadas como progesterona positivo e estrogênio positivo. Esses cânceres tendem a ter prognóstico melhor, pois respondem a tratamento hormonal. Dois em cada três casos de câncer de mama apresentam esses receptores.