Tag Arquivos: chat

Ginecologista de Plantão

chat

Leitora diz: Utilizo contraceptivo de forma contínua há dois anos. Fiz uma pausa e estou aguardando a menstruação para começar uma nova cartela. Porém, deixei de tomar o medicamento há duas semanas e ainda não menstruei. O produto ainda está agindo no meu organismo? Quanto tempo após o final de um tratamento contínuo ocorre a menstruação?

Reposta: Ao pausar o tratamento com o contraceptivo oral contínuo é possível que um pequeno sangramento ocorra entre 1 à 7 dias. Chamamos este sangramento de privação, já que ele ocorre em virtude da ausência dos hormônios contidos na pílula. Após o período destes sete dias indicados não há mais proteção contra a gravidez e ao retomar o tratamento após duas semanas de pausa, como citada, é possível que já tenha ocorrido a ovulação. Assim, mesmo tomando o anticoncepcional poderá engravidar. Contraceptivos orais não são medicamentos de “depósito”, ou seja, não ficam armazenados no organismo, por isso sua tomada é diária, portanto, não existe a possibilidade do medicamento ainda estar agindo no seu organismo. Sugerimos que converse com seu médico ginecologista, para determinar a causa da ausência de sua menstruação e excluir a possibilidade de gravidez.

Leitora diz: É normal ter corrimento após uma relação sexual?

Resposta: Durante o período de excitação sexual da mulher e durante o orgasmo ocorre aumento das secreções glandulares do epitélio de revestimento vaginal e cervical (colo do útero). O “líquido branco” corresponde a estas secreções e é uma situação absolutamente normal. Deve ser diferenciado das leucorréias (corrimento), que geralmente tem como característica uma coloração amarelada ou esverdeada, odor fétido e causam irritação vaginal (ardor e/ou prurido).

Leitora diz: Tomo anticoncepcional regularmente e houve uma relação sexual onde a camisinha “estourou”. Com medo de engravidar, usei a “pílula do dia seguinte”. Com o anticoncepcional e a “pílula do dia seguinte”, há possibilidade de gravidez e atraso menstrual?

Resposta: Só o anticoncepcional já é suficiente para a prevenção da gravidez, se for tomado de forma correta. Não é necessário o uso do contraceptivo de emergência neste caso. Caso considere o parceiro como “de risco”, procure o médico para realização de exames para detecção de doenças sexualmente transmissíveis.

Pergunte ao Doutor

O ginecologista Dr. Christian Ferraz participou de uma entrevista com leitores do blog. Ouça:

Audio clip: Adobe Flash Player (versão 9 ou superior) é necessária para desempenhar este clipe de áudio. Download da última versão aqui . Você também precisa ter o JavaScript habilitado no seu navegador.

Dr. Christian Ferraz é Médico Pós-graduado em Ginecologia e Obstetrícia com título de especialista brasileiro pela FEBRASGO – Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia.

Sexo: dúvidas constrangedoras respondidas numa boa

shutterstock_sexo

Os especialistas Fátima Protti e Théo Lerner colocam um ponto final nas questões mais íntimas das leitoras

Sabe aquelas perguntas chatas que a gente não costumar ter coragem de perguntar para o médico? Reunimos quatro delas nessa coluna especial, que conta com a participação do ginecologista e terapeuta sexual Théo Lerner.

É normal soltar ar pela vagina após (ou durante) a relação sexual?
É normal e perfeitamente comum. Isso porque durante os movimentos de entrada e saída do pênis o ar pode ficar preso na cavidade vaginal e, ao término do coito, esse ar passa a ser liberado. Algumas posições favorecem essa ocorrência, como “de quatro”, por exemplo.

Faz mal transar menstruada? Interfere na cólica?
Fazer sexo durante a menstruação não provoca nenhum dano direto à saúde. Entretanto, o rompimento dos vasos sanguíneos da camada interna do útero deixa a mulher mais vulnerável às infecções sexualmente transmissíveis. O preservativo, que deve ser usado sempre, se torna ainda mais importante nesse período. Quanto à cólica, tudo depende da sensibilidade da mulher. Algumas substâncias presentes no esperma, em especial as prostaglandina, podem aumentar as cólicas em mulheres sensíveis – e a camisinha mais uma vez exclui essa possibilidade.

Como fazer sexo anal com higiene?
No sexo anal existe o risco de contato com as fezes depositadas no reto, que é a parte final do intestino, por isso a preocupação com a higiene é muito importante. Esvaziar o reto antes de praticar sexo anal pode diminuir os riscos de uma possível infecção causada pelo contato indesejável. Fazer uso de lavagem intestinal antes do sexo é muito importante, e o lubrificante a base de água pode ser uma boa pedida. E o mais importante: a camisinha é fundamental.

Fazer xixi é sempre um drama após a transa, eu sinto minha vagina arder por algum tempo. O que acontece comigo?
Primeiramente é preciso detectar se o ardor está na uretra ou vagina, pois são canais diferentes. Sendo na vagina, ele pode ser causado pelo atrito do pênis durante os movimentos de entrada e saída da vagina – o que ocasiona certa escoriação, e a lubrificação insuficiente também contribui para isso. Nesse caso, um gel lubrificante pode resolver o problema facilmente. Outras possibilidades nos dois casos: inflamações, infecções, corrimentos e bactérias. Daí só um ginecologista poderá ajudar receitando o tratamento adequado.

Fonte: “delas.ig”